Prologo [Ana Sato]

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Bastet em Sab Mar 28, 2015 9:46 pm

_Capitulo 1. O Foda-se...


____________________________________________________________________________
(Raccoon City Police Department)
Ana sato estava em seu intervalo, comia algo para mater as forças a noite seria longa e ela estava cobrindo a folga de seu parceiro Derrick Wyat, tudo parecia normal como sempre. Até que algo estranho era noticiado em uma pequena Tv da sala onde ela estava, junto a outros policiais que comentavam o caso. A jornalista falava de um acidente grave que acabará de acontecer a cinco quadras do departamento. Quando terminou a noticia Ana Sato levantava-se de sua cadeira e saia da sala, caminhava em direção ao banheiro feminino e foi nesse momento que no corredor do departamento, um metro de onde ela se encontrava presenciou um dos guardas levando um delinquente algemado a força. Por descuido de seu colega o garoto conseguiu se soltar e num ato inescapável de fúria mordia o policial no braço, causando uma pequena confusão que deixou o jovem livre para correr em sua direção perdido em uma fúria cega gemendo feito uma criatura irracional.
CODED BY: IG de SA

Bastet
Narrador
Narrador

Mensagens : 701
Data de inscrição : 08/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Pontus Maximus em Seg Mar 30, 2015 4:29 pm

Ana

Noticiais ruins acontecem todo dia infelizmente, elas são ainda mais frequentes no meio que eu trabalho, "osso do oficio" como se diz, precisava lavar as mãos depois do meu lanche rápido, ver vagabundos circulando por aqui gritando "sou inocente, me solta seus tiras de M" já me habituei, porém sempre dava umas porradas extras para ensinar a respeitar uma autoridade policial.

Quando o moleque feriu um dos meus colegas de farda, na hora eu pensei:

-Deve ser algum tipo de droga o cara tá alucinado.

Apesar de estar de pistola e submetralhadora eu fui treinada para usar apenas se fosse o último caso. Alguns membros da SWAT carregavam facas de combate mas no meu caso era diferente, me saia melhor com cacetetes mas pretendia melhor meu treino assim que eu pudesse.

O sujeito veio em minha direção, puxei de minha cintura minha arma branca e apliquei-lhe um golpe visando desarcoda-lo.

Pontus Maximus
Jogador
Jogador

Mensagens : 73
Data de inscrição : 17/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Bastet em Dom Abr 05, 2015 5:18 pm

_Capitulo 1. O Foda-se...

____________________________________________________________________________


(Raccoon City Police Department)

Ana já parecia acostumada com aquele tipo de situação, via o jovem a correr em sua direção, preferiu não usar sua arma, afinal era só mais um ataque inconsequente de um drogado o policial mordido no braço se escorava a parede gemendo de dor, seu companheiro o ajudava naquele momento gritando por ajuda. Já Ana ficava com a melhor parte acalmar o jovem fez o que foi treinada para fazer com sua arma em punho o golpeou na cabeça de forma a não machuca-lo, o jovem por sua vez caia ao chão gemendo, parecia desnorteado na verdade o golpe de Ana não surtiu o efeito inesperado o garoto simplesmente pulou sobre ela usando de suas mãos para feri-la logo, tentando morde-la num ato que até o momento parecia não fazer sentido para ninguém.
Foi quando o segundo policial que estava ajudando o seu amigo ferido sacou a arma e disparou contra o ombro do garoto que nada sentiu o esmo parecia em fúria concentrado em matar Ana.

OFF: Teste Resistência contagio  
CODED BY: IG de SA

Bastet
Narrador
Narrador

Mensagens : 701
Data de inscrição : 08/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Pontus Maximus em Seg Abr 06, 2015 5:13 pm

Ana:

-Que porcaria.

Enquanto lutava para se desvencilhar do sujeito totalmente ensadecido eu resolvo apelar para algo mais potente, é ele ou eu. Sacando de minha pistola efetuo disparos a queima-roupa antes que as coisas piorem e muito para mim.

Pontus Maximus
Jogador
Jogador

Mensagens : 73
Data de inscrição : 17/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Bastet em Qua Abr 08, 2015 11:16 pm

Permanecendo corpo a corpo com Ana o garoto tentava mordela, o disparo efetuado por seu colega no ombro do garoto não o parou, pelo contrario o deixava mais furioso, sem alternativas Ana pegava sua arma e efetuava apenas um disparo contra o garoto , ela acertava em cheio o peito do mesmo, que caia sobre ela, sem vida, ele não agonizou nem bravejou nada apenas caia morto ao chão. Os demais policiais viam ao socorro de Ana a afastavam do garoto morto, um dos policiais já a pegava com cuidado pelo ombro a levando para enfermaria, junto com o seu outro companheiro ferido.
OFF: PV 9
Teste de resistência: Role apenas 1d6 resultado para passar no teste deve ser igual ou menor que o valor da tua resistência.

Bastet
Narrador
Narrador

Mensagens : 701
Data de inscrição : 08/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Pontus Maximus em Qui Abr 09, 2015 4:18 pm

Ana:

-Filho de uma égua, me mordeu.

Levava a mão ao ferimento, aquilo ardia espero que ele não tenha me passado nenhuma outra coisa.

Perguntei para um dos colegas:

-O Michael esta bem? Aquele puto nos pegou, que droga era aquela que o moleque estava usando pra deixar alguém assim?

Pontus Maximus
Jogador
Jogador

Mensagens : 73
Data de inscrição : 17/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Bastet em Qui Abr 16, 2015 6:30 am

Ana estava sendo atendida junto aos demais, com certeza a noite seria longa para ela, teria de assinar um monte de documentos e dar seu depoimento sobre o que realmente aconteceu no corredor e qual a causa da morte do jovem. Na enfermaria o primeiro ferido estava muito estranho se queixava de dor e comentava estar meio febril, logo ele saiu para o vestiário trocar seu uniforme. Ana indagava sobre seu colega e sobre o que o garoto estava usando, ela teve sua resposta não muito satisfatória com o medico que mentia descaradamente para, ele afirmando que o garoto estava drogado, e que ela ficaria em observação por algumas horas, já seu outro companheiro machucado nunca chegou ao vestiário. Algo estava acontecendo ali e poucos sabiam os motivos e era algo relacionada a uma epidemia que aos poucos estava se alastrando na cidade.

Bastet
Narrador
Narrador

Mensagens : 701
Data de inscrição : 08/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Pontus Maximus em Qui Abr 16, 2015 4:08 pm

Ana

Chegando junto ao médico e lhe interrogo.

-Epidemia? Que tipo de Epidemia? Porque esse tipo de coisa ainda não foi anunciada ao público? Eu tenho que fica em observação por que exatamente? Quero saber porque um moleque tentou me matar a mordidas e tive que atirar nele.

OFF: Teste de Investigação.

Pontus Maximus
Jogador
Jogador

Mensagens : 73
Data de inscrição : 17/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Bastet em Dom Abr 19, 2015 8:30 am

O Doutor não queria responder a pergunta impertinente da mulher, -Epidemia!? com um sorriso amarelado continuava -Acho que tu andas olhando muitos filmes de ficção, apenas estamos tomando precauções quanto ao seu machucado, os testes são para ver se ele não tinha alguma doença mais grave que poderia ter transmitido a você, apenas vamos te deixar e m observação faremos alguns exames de sangue nada mais...No momento que estava guardando seus instrumentos de serviço ele ainda falou a jovem baixinho a fim de que apenas ela escutasse -Acho melhor você se preparar para o pior, é apenas isso que vou lhe dizer, pois tu me lembra um pouco a minha filha, se você tem familiares aqui na cidade ande eles deixarem a mesma sem muito alarde.

Já na entrada do departamento estava acontecendo uma confusão, aquele garoto não era o único que parecia estar alterado naquela noite grande parte dos presos parecia agitados e não demorou muito para uma pequena confusão se instalar na parte interna do departamento, pelo radio sobre a mesa Ana escutava o pedido de apoio de seus colegas relatando mais outros incidentes com presos e até mesmo colegas agindo de forma estranha outros praticavam o canibalismo o caos estava começando no departamento, um caos que começou a muitas horas antes da saída de Derick.

Bastet
Narrador
Narrador

Mensagens : 701
Data de inscrição : 08/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Pontus Maximus em Seg Abr 20, 2015 4:20 pm

Ana:

Sem entender nada que estava acontecendo eu escuto o médico e o rádio e parece que a um surto canibal provocado por algum tipo de epidemia e meus amigos e colegas estão se matando e tentando sobreviver, a RPD precisa ficar segura e eu quero respostas.

Pego o rádio e vou até o médico com raiva e indagações a fazer, saindo da área de exames eu o sigo e pego pelo colarinho e o pergunto querendo muito respostas:

-Doutor, presta bem atenção que só vou falar essa vez, então tira a cera do ouvido e ouça, que diabos esta acontecendo nessa cidade? Pra quem vocês trabalham e não vou ninguém pra lugar nenhum sem você me der todas as respostas agora, ouviu bem? AGORA!!!

E prossigo:

-Você sabe mais do que um médico comum, isso ta na cara então é o seguinte ou você abra a droga desse seu bico ou vai virar mais um na multidão, se eu to com esse virus ou sei lá o que deve ser contagioso, então se quer uma chance de salvar seu couro ABRA O BICO E FALA!!!!

Uma das mãos esta no colarinho do doutor e a outra na arma no coldre de minha perna.

Pontus Maximus
Jogador
Jogador

Mensagens : 73
Data de inscrição : 17/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Bastet em Qua Abr 22, 2015 6:01 pm

Ana percebeu que o doutor estava mentindo, de forma violenta ela o pegava pelo colarinho e começava novamente a questiona-lo sobre o que estava acontecendo, o mesmo em desespero apenas gaguejava a encarando -Na..não ...po...posso falar... eu não sei o que esta acontecendo só fui mandado aqui para selecionar os infectados...  Ele realmente se preocupou quando a viu com a mão no coldre, seu nervosismo aumentou ainda mais com outra chamada no radio em desespero -Não acredito estamos condenados se a epidemia se alastrar estamos perdidos...Tentando se soltar da mulher ele ainda falava - Vamos sair logo daqui eu não quero morrer... Me deixe ir... O ultimo pedido de ajuda no radio terminava em gritos de desespero e barulhos de tiro, cada minuto perdido na sala deixava os dois longe de saírem vivos do lugar.

OFF: Agora sim vamos começar a jogar, nem te preocupa nas próximas narrativas vou detalhar mais os lugares e onde conseguir as coisas.

Bastet
Narrador
Narrador

Mensagens : 701
Data de inscrição : 08/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Pontus Maximus em Qui Abr 23, 2015 4:36 pm

Ana:

-SELECIONAR INFECTADOS, eles QUEM?FALA LOGO OU VOU TE USAR COMO ESCUDO HUMANO.

-Pra que eles querem os contaminados? eles fizeram isso, meus amigos não vou ser cobaias sozinho doutor, você também vai ser, eu posso sair daqui e sobreviver e você? Sabe lutar ou segurar uma arma?

-E o mais importante quero saber onde tem uma vacina pra isso e você vai me levar até lá.


Dei alguns gritos com o sujeito, alguns tapas na cara dele e por fim o seguro pelo colarinho pela parte de traz, pego o rádio e saio com ele.

Pontus Maximus
Jogador
Jogador

Mensagens : 73
Data de inscrição : 17/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Bastet em Sab Abr 25, 2015 11:33 am

_Capitulo 1. O Foda-se...

____________________________________________________________________________


(Raccoon City Police Department)

Ana parecia que havia perdido a paciência com o doutor, o ameaçada de todas as formas possíveis, o doutor não sabia se havia alguma cura para aquela nova epidemia, só foi contratado para identificar e selecionar os infectados, e mais nervoso a ponto de começar a tremer ele falava a jovem -Eu apenas recebi um e-mail e um deposito em minha conta bancaria fui instruído apenas a identificar e selecionar alguns infectados, eu realmente não sei se tem alguma cura para isso... Ele tentava se soltar da mulher queria fugir daquele lugar o quanto antes, estava apavorado com a atitude dela, em usa-lo como escudo, em meio a pressão lembrou-se mas não comentou a ela do lugar onde os selecionados eram transferidos.

Em meio a discussão o celular de Ana tocava se ela o pegasse veria em sua tela que o Derick estava tentando falar com ela, no lugar em que se encontravam havia muitos remédios e utensílios uteis, para levar em sua fuga caso ela perguntasse ao doutor o que seria útil levar da enfermaria, ambos se encontravam no terceiro andar do departamento, todas as janelas como medidas de segurança tinham grades  no momento Ana e o doutor apenas escutavam o desespero e gritos pelo radio, parecia que no lado de fora da sala estava tudo calmo  o longo corredor que levava apenas para dois caminhos um a esquerda e outo a direita da sala se encontrava vazio.

Pegando o caminho a direita ele seguiria para o segundo piso do departamento já no corredor a esquerda seguiria para uma outra sala. 
CODED BY: IG de SA

Bastet
Narrador
Narrador

Mensagens : 701
Data de inscrição : 08/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Pontus Maximus em Sab Abr 25, 2015 5:38 pm

Ana:

-Seguinte meu caro, você vai ter uma última chance, tem algum medicamento aqui que possa me ajudar, algum antibiótico ou coisa do genêro? O que eu devo levar? Melhor dizer se não eu vou cumprir com minhas ameaças e tu ira se transformar em comida de peixe.

Terminando de interrogar o doutor eu procuro sair junto com ele, preciso ver Derick. Assim que possivel eu pego o telefone e atendo deixando o doutor a própria sorte na pandemia. Como estou num distrito policial eu checo a outra sala para pegar suprimentos como armas, colete e qualquer outra coisa, volto para o segundo piso.

Pontus Maximus
Jogador
Jogador

Mensagens : 73
Data de inscrição : 17/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Bastet em Seg Maio 04, 2015 5:48 pm

Ana Atendia o celular no mesmo Derick mostrava-se com um tom de preocupação -Ola! Ana...Ana saia do distrito, sai logo dai... se proteja que algo esta acontecendo te encont.... A ligação foi cortada a ultima coisa que Ana conseguiu escutar foi uma pequena explosão. Assustado com tudo aquilo o Doutor apenas pega o necessário para a fuga, em sua pequena maleta guardava o básico que conseguia carregar, com medo quando terminou ficou a esperar para ver o que a jovem faria, logo entregou a ela uma pequena bolsa de primeiros socorros.

No corredor como estava calmo Ana pode caminhar sem se preocupar ela sabia que estava em meio a um caos, para sua segurança foi até a sala de armas em seus setor , para sua sorte a porta estava aberta lá ela pegou as armas que precisava e sabia manusear, assim como 1x colete, 4x granadas fumaça , 2 de fragmentação, 3x Spray de Cura. voltava ao corredor o Doutor pegou apenas uma pistola e um colete, ficou junto da moça pois agora não tinha mais como ele sair dali, ou melhor dizendo não conseguiria chegar no ponto demarcado de fuga que ele tinha em suas instruções.

No segundo andar Ana observava pelas janelas do prédio a destruição e movimentação das pessoas nas ruas muitas corriam gritando desesperadas, outras pareciam estar dopadas caminhavam muito devagar e quando alvejadas pelos policiais continuavam a andar sem parar até mesmo aquelas que saiam em meio as chamas dos carros destruídos na rua, algo já tinha começado a muito tempo antes mesmo daquela noticia. A jovem por curiosidade via seu machucado lembrou-se que aquele adolescente a machucou, não só isso lembrou-se da preocupação do Doutor em examina-la.
O segundo andar era o mesmo que o terceiro no corredor extenso a frente de Ana estava dezenas de janelas com grades e a sua costas varias portas em seu lado direito a escadaria para o terceiro piso e ao seu lado esquerdo a porta que levaria para a maldita saída daquele inferno onde o perigo era maior.

OFF:1x colete, 4x granadas fumaça , 2 de fragmentação, 3x Spray de Cura, pequena bolsa de primeiros socorros.

Bastet
Narrador
Narrador

Mensagens : 701
Data de inscrição : 08/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Pontus Maximus em Qua Maio 06, 2015 4:16 pm

Ana:

-Derick, Derick.... o que esta acontecendo, fala comigo, o que houve?

Sem ter uma resposta do que poderia ser de meu futuro namorado eu apenas orava para que ele respondesse em breve para mim.

Me equipando adequadamente com o melhor que eu tinha naquele momento me coloquei a pensar no que estava acontecendo com minha cidade e comigo também, por mais que eu quisesse deixar o doutor para trás me dei conta de que ele poderia ser minha salvação ou minha ruina, ainda não tinha como saber.

Vendo que o doutor estava mais ou menos pronto, olhei pela janela e me virei e falei com ele.

-Escuta bem, pois será apenas uma vez que eu vou falar, nós vamos atrás de uma pessoa que pode nos ajudar a sair daqui e depois você irá me levar até seus superiores, pois eu imagino que eles tenham previsto toda essa porcaria e imaginado um plano de contigência, se topar você vai sair daqui vivo e talvez inteiro, se não concordar eu prometo que não chegara a ver o dia denovo, afinal meus amigos não estão morrendo e vai ficar por isso mesmo, você entendeu?

-Otimo, vamos para a garagem, talvez eu pegue uma viatura ou um furgão da SWAT, e reze doutor para que seus superiores tenham uma cura.

Pontus Maximus
Jogador
Jogador

Mensagens : 73
Data de inscrição : 17/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Bastet em Qua Maio 06, 2015 11:33 pm

Ana tentava alguma comunicação pelo celular com Derick, só que era impossível falar com ele uma vez que seu celular, quem sabe teria estragado, ou acontecendo algo com o próprio Derick. No momento vendo que não tinha como falar com o seu namorado, a jovem voltara sua atenção ao Doutor depois de ver a situação em que se encontrava e pensado um pouco sobre o que estava acontecendo,de certa forma ela estava perdida em meio a tudo aquilo tentou mais uma vez obter alguma resposta com o seu prisioneiro que a escutou atentamente.

O doutor percebia que a jovem estava muito irritada co tudo aquilo em meio as palavras da moça ele a respondia -Não tenho certeza se meu contato esteja nessa cidade pelo que você viu na janela não vai demorar muito para colocar essa cidade em quarentena e depois em menos de 24 horas se não conseguirem conter essa epidemia com certeza ... Ele não terminou a frase mas Ana poderia ter a nítida certeza que eles morreriam ali junto aos doentes.

Ana seguia pela entrada que levava ao térreo, via ao longe pelas escadaria seus colegas enfrentando inúmeros contaminados, para chegar até a saída que levaria a garagem ela teria de passas pelo corredor a sua direita, sua sorte era que estava muito concentrada a presença de infectados na entrada do lugar e seu centro. Junto ao Doutor ela teve a ideia de seguir se arrastando com cuidado por entre as mesas e divisórias do comando ela conseguia chegar ao corredor, mas nele estava dois infectados já devorando um soldado morto ao chão, querendo ou não ela teria de passar por eles até chegar a outra porta que daria acesso a garagem.

Bastet
Narrador
Narrador

Mensagens : 701
Data de inscrição : 08/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Pontus Maximus em Dom Maio 10, 2015 1:36 pm

Ana:

-Se você esta selecionando os infectados então você sabe onde é que eles são levados ou sabe mais ou menos onde fica, nesse momento sou sua melhor chance de encontra-los, quando estivermos lá fora eu quero que você entre em contato com eles pelo telefone, megafone, meditação, ou até mesmo sinal de fumaça indigena mas você vai me levar até eles, e quero uma vacina para essa zica toda, entendeu? Otimo agora me segue e faça exatamente o que eu fizer para chegarmos a garagem.

Então indo ao meu destino me deparo com uma cena bizarra que nunca imaginei que veria, cenas reais de canibalismo bem na minha frente, procurei alguma coisa para servir de proteção adicional, um escudo da policia para empurra-los se for preciso, mas caso não encontre eu irei fazer mira na cabeça deles e atirar até que caiam de uma vez.

Pontus Maximus
Jogador
Jogador

Mensagens : 73
Data de inscrição : 17/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Bastet em Ter Maio 19, 2015 1:12 pm

O Doutor apenas concordou com que Ana havia falado, a seguiu calado ele sabia que morreria ali, pois a corporação não aceita falhas, no momento que ele foi pego e falhou na sua missão ele já estava classificado como um peso morto. Sua sorte naquele momento era que no momento a corporação não sabia sobre sua atual situação.

Já Ana caminhou até o corredor procurou algo para usar como proteção pensou até mesmo no escudo usado pelas tropas especiais, só que ali não tinha nenhum escuro, sua segunda opção foi pegar sua arma e mirar na cabeça de um dos zumbis que já se movimentavam lentamente até ela.

Seu primeiro disparo acertava o ombro do zumbi no qual estava mirando o barulho causado pelos gemidos da criatura mais seu disparo poderia alertar os outros, já o segundo zumbi ficava parado tendo seu movimento interrompido pelo primeiro que levara o tiro no ombro.

OFF: Pela demora te darei mais uma cura.

Bastet
Narrador
Narrador

Mensagens : 701
Data de inscrição : 08/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Pontus Maximus em Qua Maio 20, 2015 4:50 pm

Ana:

Então Doutor, aproveita que eles são lerdos e faça a sua parte.

Mirando mais uma vez para mais disparos certeiros eu fiz uma rápida oração em minha mente.

-Amigos, descansem em paz.

E Atirei.

Pontus Maximus
Jogador
Jogador

Mensagens : 73
Data de inscrição : 17/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Bastet em Ter Maio 26, 2015 12:00 pm

Ana continuou com seus disparos para sua sorte a criatura era muito lenta tentou alcança-la sem chances,, pois caiu ao chão abatida pelos tiros da moça, já a outra criatura investia contra o doutor que não sabia o que fazer paralisado pelo medo se viu abraçado pelo zumbi tentando evitar o seu ataque, sem grandes chance de vencer a criatura ele era mordido no braço, isso o deixou mais assustado que ele não parava de gritar pedindo ajuda  para a moça.

Bastet
Narrador
Narrador

Mensagens : 701
Data de inscrição : 08/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Pontus Maximus em Qua Maio 27, 2015 4:13 pm

Ana:

Vendo que o doutor era mais um frouxo de cueca do que um homem decide ajuda-lo, foi até bom isso acontecer quem sabe isso não refresca sua memória.

Segurando a criatura pelo colarinho eu efetuo mais um disparo a queima roupa para então jogar o corpo dele para o lado e continuarmos com a nossa fuga.

Pontus Maximus
Jogador
Jogador

Mensagens : 73
Data de inscrição : 17/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Bastet em Sab Maio 30, 2015 1:20 pm

Ana socorre o doutor que fica apavorado com o ferimento que a criatura lhe causou, em meio a seus gritos ele não consegue se conter gritando que estava condenado, no mesmo tempo em que via boa parte da cabeça do infectado cair sobre ele, jogando o corpo para o lado ele fica de pé olhando o ferimento, em desespero ele pega sua maleta e abrindo ela tira apenas uma atadura e faz um curativo rápido, meio tremulo ele apenas chega a comentar algo a jovem - Devemos sair daqui o efeito de contagio leva uma hora, se me tirar daqui eu te dou a cura para a infecção... o Doutor não falava mais nada já estava apavorado com a situação restava somente Ana para ajuda-lo.

Bastet
Narrador
Narrador

Mensagens : 701
Data de inscrição : 08/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Pontus Maximus em Sab Maio 30, 2015 4:24 pm

Ana:

-Quer dizer então que existe uma vacina, não é mesmo seu merda? Pois bem, faremos como você disse, e isso foi até bom que tenha acontecido, reflita sobre seus pecados e agora me diga onde esta tal vacina? Note bem que os seus contrantes não estão muito ai pra você, mas se você me der uma maleta com vacinas eu te libero e você pode com um pouco de sorte sumir do mapa, vai depender apenas de você.

Em Pensamento:

-Mesmo que esse filho de uma vaca suma eu vou atrás dele depois.

Continuando:

-Vamos logo sair daqui e quero que você entre em contato com eles ou nos dois vamos devorar um ao outro em breve pois não pretendo desgrudar de você, pensem bem na chance que estou te dando. Agora vamos, e dessa vez use a droga da arma cacete.

Pontus Maximus
Jogador
Jogador

Mensagens : 73
Data de inscrição : 17/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Bastet em Qui Jun 04, 2015 10:28 am

O doutor meio tremulo apenas gesticulava com a cabeça realmente  existia um antidoto para a infecção, logo ele se armou e seguiu a mulher calado, não tinha muito o que fazer apenas seguir em frente. ambos andaram até a porta a próxima sala estava uma bagunça tinha corpos por todos os lados. -Temos apenas duas horas até o próximo comboio de apoio sair da cidade com os membros da umbrella...

Ana via a porta a sua direita ela teria que atravessar a sala para chegar a seu objetivo eis que na mesma sala estava um pequeno grupo de infectados despedaçando um de seus conhecidos. sem reação a moça apenas escuta seu aparelho a tocar chamando a atenção do bando sobre si. Seu namorado a ligava novamente, pela insistência da chamada parecia ser algo urgente.

OFF: caso atenda seu celular, é Derick ele fala que esta bem e esta no primeiro piso do distrito enfrentando o foco principal de zumbis sem querer ele ficou preso, foi parar ali na tentativa de socorrer Ana.
 

Bastet
Narrador
Narrador

Mensagens : 701
Data de inscrição : 08/03/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prologo [Ana Sato]

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum